Contrato de trabalho de experiência: Você sabe o que é e como funciona?

  • Home
  • Contrato de trabalho de experiência: Você sabe o que é e como funciona?
Contrato de trabalho de experiência: Você sabe o que é e como funciona?
  • 19 de julho de 2022

É uma espécie de contrato por prazo determinado, para que a empresa verifique se o empregado atende aos requisitos para a vaga, e na mesma medida, para que o trabalhador conheça as condições de trabalho.

Basicamente, o contrato de experiência é um meio de a empresa testar o empregado, e de ele decidir se quer mesmo trabalhar ali.

Qual o prazo do contrato de trabalho de experiência?

Este tipo de contrato, é de prazo determinado, não existe um prazo mínimo, porém, não pode exceder o prazo de 90 dias, caso ultrapasse este limite, passará a ser considerado contrato de trabalho de prazo indeterminado.

Como fica a carteira de trabalho?

O contrato de experiência não pode ser verbal, devendo ser anotado na CTPS do empregado, devendo ser informado no campo de anotações gerais da carteira, que aquele contrato é de experiência. A empresa tem 5 dias úteis para proceder a anotação da carteira de trabalho.

Quais os direitos do empregado neste período?

Durante o período de experiência, o trabalhador possuí os mesmos direitos de um funcionário regular da empresa, tais como 13º salário e férias proporcionais, INSS, FGTS, comissões, horas extras, descanso semanal remunerado, adicional noturno, periculosidade, insalubridade entre outros.

O que acontece ao fim do prazo do contrato de experiência?

Ao final do prazo de experiência, as partes devem decidir se continuarão com o contrato de trabalho, e caso o empregador opte por não contratar o empregado em definitivo, deverá comunicá-lo da decisão e proceder a baixa em sua CTPS.

Neste caso, o empregador terá de pagar 13º salário e férias proporcionais (inclusive com o 1/3 a mais) e liberar as guias para saque do FGTS, entretanto, a pessoa não tem direito ao aviso prévio, nem a multa de 40% sobre os depósitos realizados no FGTS.

Se ao final da experiência, o empregado não queira continuar na empresa, terá os mesmos direitos citados anteriormente, exceto o saque do FGTS.

Caso o empregado opte por sair antes do final do período de experiência, deverá indenizar o empregador com um valor equivalente a metade da remuneração que iria receber até o final do contrato.

Se o empregador demitir o empregado em contrato de experiência, sem justa causa, antes do final do período ajustado, o trabalhador tem direito ao 13º salário proporcional, férias proporcionais mais 1/3, além do saldo do salário e 40% do FGTS.

Além disso, ele deve receber também uma indenização. O valor dessa indenização é de metade do que ele ainda teria a receber, se cumprisse o contrato até o final.

Em caso de demissão por justa causa, o funcionário perde todos esses direitos, recebendo apenas o saldo do salário pelos dias que trabalhou.

Luiz Conrado Pesente Gehlen
OAB/PR nº 91.066
Advogado Trabalhista e Tributário

Publicações Relacionadas

Pente Fino do INSS: governo quer cortar R$ 10 bilhões na Previdência.

Pente Fino do INSS: governo quer cortar R$ 10 bilhões na Previdência.

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) trabalha em um pacote de medidas capaz de gerar uma economia de pelo menos R$ 10 bilhões nos cofres públicos ainda neste ano. Para conseguir isso, o presidente da instituição, Alessandro Stefanutto, afirmou ao jornal O Globo que vão ser analisados os contratos de auxílio-doença, Benefício de Prestação […]

Mais Informações
Gestante tem direito à estabilidade, mesmo em contrato de experiência?

Gestante tem direito à estabilidade, mesmo em contrato de experiência?

É claro que SIM! A gestante tem direito à estabilidade mesmo estando em contrato de experiência. A trabalhadora gestante tem direito à garantia de emprego até 5 meses após o nascimento de seu filho, em alguns casos a estabilidade pode ser ainda maior, pois alguns acordos ou convenções coletivas ampliam este período de estabilidade. Mas […]

Mais Informações
Você sabe como funciona a taxação de importação?

Você sabe como funciona a taxação de importação?

Com o mundo globalizado, o consumo de produtos importados é comum na rotina brasileira. Mas você sabe o que muda na importação após a implantação do programa Remessa Conforme, lançado em agosto deste ano? 1 – Entre pessoas físicas, há isenção de impostos de produtos de até 50 dólares. A partir disso, a alíquota é […]

Mais Informações